Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Ifac apoia realização de conferências indígenas
Início do conteúdo da página
Notícias

Ifac apoia realização de conferências indígenas

Conferência das organizações regionais dos povos indígenas ocorreu na Aldeia Puyanawa e contou com apoio do Ifac para produção de carta aberta

  • Publicado: Quinta, 21 de Dezembro de 2017, 15h12
  • Última atualização em Terça, 26 de Dezembro de 2017, 17h36

 

Mais um importante passo foi dado na aproximação do Instituto Federal do Acre (Ifac) com os povos indígenas. Uma comissão com dez servidores prestou auxílio na realização de dois grandes eventos: a 1ª Conferência das Organizações Regionais Indígenas e a 1ª Conferência Indígena da Ayahuasca, realizadas entre os dias 10 e 17 de dezembro na Terra Indígena Puyanawa, a 18 km do município de Mâncio Lima-AC. Cerca de 180 indígenas de diversas comunidades e 15 povos da região do Vale do Juruá participaram do evento.

As conferências foram realizadas pelas organizações dos Povos Indígenas do Rio Juruá (OPIRJ), do Rio Envira (Opire), de Tarauacá (Opitar) e Associação dos Seringueiros Kaxinawa do Rio Jordão (ASKARJ), com apoio da Fundação Nacional do Índio Coordenação Regional do Juruá (Funai-Juruá) e da Secretaria de Saúde Indígena (Sesai). O apoio do Ifac se deu na mediação para a construção do planejamento estratégico dessas organizações para os próximos quatro anos, e auxiliando a elaboração de uma Carta Aberta construída coletivamente na plenária final que será encaminhada para instituições externas.

Durante os dias 11 e 12 houve plenárias nas quais os caciques e lideranças das comunidades, representantes da juventude e de mulheres puderam se reunir e manifestar sua satisfação e preocupações acerca de questões em comum. No dia 13, foram trabalhados os temas educação, saúde, meio ambiente, produção e fortalecimento institucional das organizações em grupos de trabalho organizados por organizações.

No dia 14, foram apresentadas, em plenária, as propostas oriundas das discussões nos grupos de trabalho, com a presença de representantes de instituições externas, como Ifac, Funai, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Governo do Estado, e Comissão Pró-Índio (CPI). As lideranças dos povos indígenas presentes assinaram, ao final, a Carta Aberta em forma de manifesto com os encaminhamentos, que será encaminhada para as instituições.

Durante as duas conferências a equipe do Ifac também atuou no apoio com o registro audiovisual e relatoria. Membros do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi) dos campi Tarauacá, Cruzeiro do Sul e Rio Branco, bem como colaboradores da Baixada do Sol e Reitoria fizeram parte da equipe.

A coordenadora do Neabi do campus Tarauacá, Cristiane de Bortoli, explicou sobre o papel do Ifac nas conferências. “Fomos convidados a estar facilitando o processo de construção do planejamento estratégico das organizações dos povos indígenas. Utilizamos como base o que havíamos trabalhado internamente na instituição, buscando identificar os pontos fortes e fracos, as ameaças e oportunidades. Fizemos adaptações relacionadas ao contexto, tanto na parte de materiais para utilizarmos no espaço, como na mediação, porque entendemos que os povos indígenas tinham de ser os protagonistas. Então, a gente entrou somente como facilitador do processo. A discussão, as reflexões foram feitas a partir da base com as lideranças indígenas que se apropriaram da metodologia junto com a gente.”

Para o coordenador da Funai-Juruá, Luiz Valdenir Nukini, a parceria com instituições como o Ifac elevou a qualidade do evento. “Para a realização destes dois eventos foi essencial a parceria com as instituições como a Sesai [Secretaria Especial de Saúde Indígena] e o Ifac com quem já vimos trabalhando em outras atividades. Sem essa parceria poderíamos não ter chegado ao objetivo principal que foi organizar os encaminhamentos e fazer o registro, além da elaboração dos documentos e contribuições com a metodologia. Tudo isso elevou a qualidade do evento. Agradecemos à equipe e à reitora e que possamos continuar essa caminhada pelo fortalecimento e autonomia dos povos indígenas juntos”, afirmou.

Diálogo com os povos indígenas

A reitora do Ifac, Rosana Cavalcante dos Santos esteve presente na Aldeia Puyanawa no encerramento da 1ª Conferência das Organizações Regionais Indígenas, no dia 14 de dezembro. Além de apresentar as ações do Instituto no ensino, pesquisa e extensão para as lideranças indígenas de diversos povos e regiões do Acre, a gestora falou das oportunidades de estudo oferecidas pela instituição em suas seis unidades, além da possibilidade de estudos na modalidade de ensino a distância.

A reitora também relembrou as primeiras experiências do Ifac com os povos indígenas por meio da oferta de cursos pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). O projeto teve parceria da Funai e da Organização dos Professores Indígenas do Acre (Opiac) desde o planejamento até a execução dos cursos nas próprias terras indígenas. O programa foi executado pelo Ifac em comunidades localizadas nas regionais do Vale do Juruá, Vale do Purus e Tarauacá-Envira, no período de 2014 a 2016.

Após o evento, a reitora ainda se reuniu com lideranças indígenas como o cacique Joel Puyanawa e Benki Pyanko e o chefe de divisão técnica da Funai-Juruá, Jairo Lima. Na ocasião, foram discutidas as possibilidades de ampliar a oferta de cursos e projetos de pesquisa e extensão para os povos indígenas.

Confira os documentos elaborados a partir das conferências indígenas:

Carta Aberta da 1ª Conferência das Organizações Regionais Indígenas

Carta Recomendações da 1ª Yubaká Hayrá - Conferência Indígena da Ayahuasca

registrado em:
Fim do conteúdo da página