Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Campus Rio Branco > Ifac Passarela: curso está com inscrições abertas
Início do conteúdo da página
Campus Rio Branco

Ifac Passarela: curso está com inscrições abertas

Formação, que tem carga horária de 20 horas, é oferecida em parceria com a Academia de Modelos Three, em Rio Branco

  • Publicado: Quinta, 10 de Outubro de 2019, 11h58
  • Última atualização em Quinta, 10 de Outubro de 2019, 11h58

O Instituto Federal do Acre (Ifac) campus Rio Branco, em parceria com a Academia de Modelos Three, abriu inscrições para o projeto Ifac Passarela. A iniciativa é do professor do Ifac, Luiz Eduardo Guedes e do diretor da Three, Lucas Ly. O projeto consiste na oferta de um curso de técnicas de passarela, com carga horária de 20 horas, para aspirantes a modelo. Serão ofertadas 50 vagas.

As inscrições já estão abertas e seguem até 19 de outubro pelo formulário online https://linktr.ee/threemodel. A seleção dos participantes será feita por sorteio no dia 20 de outubro, às 15h, pelo Instagram da Academia de Modelos Three: instagram.com/threemodel. O limite de idade para participação é a partir dos quatro anos de idade.

Os alunos sorteados deverão comparecer no dia 21 de outubro, às 19h para o primeiro dia de aula, no Ifac Campus Rio Branco, localizado no bairro Xavier Maia, na capital. Segundo o coordenador do projeto, nesta edição o curso será mais voltado para as técnicas de passarela como postura, andar, etc.

Ifac Modelando

A primeira edição do projeto, o Ifac Modelando foi um curso de dois meses com aulas teóricas onde os participantes tiveram palestras sobre cuidados com a saúde (corpo e mente), alimentação, fotos nas mídias sociais, entre outras. O curso também teve a parte práticas onde os participantes aprenderam sobre técnicas de passarela e missologia (estudo do mundo das misses e dos concursos de beleza). O encerramento do projeto foi com um grande desfile no teatrão. O curso teve a participação de 70 jovens.

“Sempre trabalhamos as questões de aceitação, nunca colocamos que os participantes tinham que ser magros ou atender os padrões de beleza impostos pela sociedade. Foi um curso para que os meninos e meninas percebessem que a beleza não está nas questões estéticas, mas na personalidade, autoconfiança, etc. Então um dos nossos objetivos foi desmitificar essa ideia da beleza das capas de revista e da busca pela perfeição”, explicou o coordenador do projeto, Luiz Eduardo Guedes.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página