Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Campus Cruzeiro do Sul > Alunos do Ifac recolhem 170 kg de lixo no Igarapé Preto
Início do conteúdo da página
Campus Cruzeiro do Sul

Alunos do Ifac recolhem 170 kg de lixo no Igarapé Preto

Ação ocorreu no sábado, 21, data em que é celebrado o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias

  • Publicado: Segunda, 23 de Setembro de 2019, 15h49
  • Última atualização em Segunda, 23 de Setembro de 2019, 15h50

Alunos e servidores do Instituto Federal do Acre (Ifac) campus Cruzeiro do Sul realizaram uma ação de limpeza do Balneário do Igarapé Preto, no último sábado (21.09). A iniciativa foi do Curso Técnico Subsequente em Recursos Pesqueiros em decorrência do Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias, com apoio do Grupo de Pesquisa e Extensão em Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável (GPEEADS) e da Secretaria de Meio Ambiente de Cruzeiro do Sul, representada pela secretária Suzana Farias e pela gerente de Educação Ambiental Damiana Maciel. Ao todo, vinte e sete pessoas, entre alunos, servidores e voluntários externos à Instituição participaram da ação realizando, também, a seleção e pesagem do material coletado.

Segundo os registros dos professores Cassio Noronha e Paulo Moura foram recolhidos no total 170 kg de resíduos sólidos, sendo 91 kg de vidros, 50 kg de plásticos, 6,5 kg de papéis, 3,5 kg de metais, 2 kg de madeiras, 1 kg de borracha e 16 kg de resíduos diversos como fraldas, filtros de cigarro, absorventes, têxteis e petrechos de pesca.

De acordo com o docente Carlos Henrique Marques, a partir da identificação do lixo coletado no balneário que é um dos locais mais frequentados pela população, pode-se constatar que a grande maioria se tratava de garrafas de bebidas, descartadas de forma inadequada. “Verificamos que, no local, existem mais de 15 lixeiras, porém os usuários ainda não foram conscientizados e continuam descartando o lixo em locais inadequados. Isso traz riscos a toda a população que utiliza o Igarapé Preto, pois foram encontrados diversos cacos de vidro e pedaços de metal enferrujado”, alertou. O professor explicou, ainda, que a maioria do lixo que chega aos oceanos vem dos continentes, carregados pelos rios e igarapés até o mar.

Além dos riscos aos banhistas, segundo o técnico de Laboratório Wesley Souza, os Igarapés exercem também uma importante função na manutenção e conservação da biodiversidade dos peixes, e os problemas causados pelos plásticos e microplásticos para meio ambiente aquático podem ser prejudiciais para toda a fauna aquática.

Após a ação no igarapé, as professoras Raphaela Bomfim, coordenadora do GPEEADS e Marluce Oliveira, coordenadora do projeto “Com Ciência Ecológica: A Educação Ambiental na Amazônia”, realizaram atividades (brincadeiras) e dinâmicas relacionadas ao meio ambiente e à preservação ambiental. O objetivo foi promover uma interação entre os alunos e ao mesmo tempo provocar a reflexão sobre a importância da preservação dos nossos recursos naturais.

A limpeza do Igarapé Preto foi cadastrada no site da ONU Meio Ambiente, organização que registra ações de grupos de voluntários que atuam no dia da limpeza em todo o país, na Semana Mares Limpos.

Este é o segundo ano que o Ifac participa do Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias. Em 2017, os alunos do Curso de Recursos Pesqueiros retiraram 83 kg de lixo da Praia do Rio Moa, em Cruzeiro do Sul.

Sobre a data

O Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias reúne milhões de pessoas ao redor do mundo. A data é conhecida internacionalmente como World Cleanup Day (Dia Mundial da Limpeza), e tem o objetivo de promover a educação ambiental e mudanças de hábito quanto ao descarte de resíduos, além da valorização dos rios, oceanos e a integração entre as pessoas em torno de um bem comum: o Planeta Terra. A ideia é que voluntários promovam ações de limpeza de praias, rios, córregos e parques. As informações sobre o lixo coletado são divulgadas, posteriormente, com o objetivo de sensibilizar governos e sociedade civil sobre o problema da poluição plástica.

Com informações do campus Cruzeiro do Sul

Fim do conteúdo da página