Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Últimas Notícias > Campus Sena Madureira > Espaços culturais é roteiro de visita de alunos do campus Sena Madureira
Início do conteúdo da página
Campus Sena Madureira

Espaços culturais é roteiro de visita de alunos do campus Sena Madureira

Docentes do campus Sena Madureira realizam visita técnica a espaços culturais com alunos do curso de Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio

  • Publicado: Sexta, 27 de Abril de 2018, 04h23
  • Última atualização em Sexta, 27 de Abril de 2018, 10h29
imagem sem descrição.

Um dia de visita a espaços culturais proporcionou aos alunos de duas turmas do 3º ano do curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio, do campus Sena Madureira, conhecer a História local, por meio das produções artísticas e culturais em exposição no Palácio Rio Branco, Biblioteca da Floresta, Museu de Paleontologia e Parque Chico Mendes.

A visita técnica denominada “Narrativas poéticas e biodiversidade”, organizada pelas docentes Jamila Pontes (Artes), Valéria Rigamonte (Biologia) e Altaíza Marinho (História), aconteceu na quarta-feira (18.04) e contou com o apoio da Universidade Federal do Acre (Ufac) e da Coordenação do Núcleo de Apoio ao Estudante (NAES).

O roteiro dos alunos teve início no período da manhã, quando visitaram o Palácio Rio Branco, onde foi possível conhecer os espaços e histórias que compõem o acervo. Em seguida as turmas conheceram a Biblioteca da Floresta onde foram recebidos pela equipe de orientação dos espaços e galerias. As atividades da manhã foram encerradas com almoço no restaurante da Ufac.

À tarde a programação teve continuidade, desta vez com a visita orientada ao Museu de Paleontologia onde foi possível visualizar os fósseis da região amazônica e o enceramento se deu no Parque Chico Mendes, onde os alunos conheceram melhor sobre a biodiversidade.

Na avaliação das organizadoras a visita técnica proporcionou aos alunos a fixação e reflexão de conteúdos teóricos ministrados em sala de aula, a partir de novas experiências em lugares estratégicos que possibilitem o aprender de diversas formas: olhar, observar, sentir, ouvir, perceber, recriar, imaginar.

Segundo a docente de Artes, Jamila do Nascimento Pontes, a visita técnica nestes espaços conhecidos como “guardiões de memórias” oportunizou aos alunos momentos de aprendizagem a partir da experiência de ver, ouvir e ao mesmo tempo contextualizar as histórias do Acre já discutido em sala de aula.

A docente agradeceu aos parceiros envolvidos na realização da atividade. “Agradeço aos professores envolvidos, a equipe técnica, em especial à Assistência Estudantil, a direção de Ensino, de Administração e a direção geral do Campus que não mede esforços para realização da atividade desenvolvidas pelos docentes. Agradeço também as equipes dos espaços visitados que nos receberam calorosamente”.

Da mesma forma, a docente Altaíza Liane Marinho, da disciplina de História, destacou que as visitas técnicas são de suma importância para os alunos aprimorarem o que tem recebido em sala de aula. “ Este é um momento único e essencial em termos de conhecimento e experiências”.

Os alunos Fernando José da Silva Gouveia, Luana da Silva Franco e Erllyan de Oliveira Nascimento avaliaram a atividade como produtiva e uma experiência diferente. Fernando Gouveia disse que no Palácio Rio Branco aprendeu sobre a História do Acre. “Foi bem interessante também as visitas na biblioteca da Floresta e também no Parque Chico Mendes. Foi uma experiência boa! Espero que se repita mais vezes, sempre bom sair do âmbito escolar e explorar outros lugares”.

Luana Franco destacou que a visita foi produtiva e conheceu fatos não conhecia da cultura acreana. “Conhecemos nossos antepassados e o que eles utilizavam. Também conhecemos o Museu de Paleontologia, onde saímos do espaço da sala de aula e vivenciamos na prática tudo aquilo. Também espero que se repita mais vezes porque é bom para os alunos e também para os professores”.

Para Erllyan de Oliveira Nascimento a visita técnica interessante pois pode observar um fóssil de perto. “Aprendemos um pouco mais sobre a História do Acre e também como faziam nossos antepassados com relação a seringa e outras atividades. Também foi possível ver de perto os animais silvestres, algo que não costumamos ver no dia a dia”.

(Com informações do campus Sena Madureira)

Fim do conteúdo da página